O objetivo desta cirurgia é dar volume à região glútea quando este é insuficiente constitucionalmente ou restaurar o volume perdido por atrofia decorrente da idade ou fruto de emagrecimento, tornando-a maior, mais empinada e mais firme.

Qualquer pessoa na idade adulta, em boas condições de saúde poderá ser candidata a esta cirurgia, não tendo uma idade ideal para operar dentro destes parâmetros. Seu médico irá orientar sobre a conveniência, as limitações, os riscos e as contraindicações para seu caso específico.

Embora o desejo pessoal pelo tamanho da prótese possa ser levado em conta, a definição só ocorrerá durante a cirurgia, quando parâmetros anatômicos serão respeitados, atendendo critérios técnicos para o sucesso da cirurgia e obtenção do melhor resultado.

 

Procedimento Cirúrgico

Etapa 1 – Anestesia

O tipo de anestesia deve ser discutido com o anestesista que é o especialista da área. As opções incluem bloqueios e anestesia geral.

 

Etapa 2 – Incisão

Será feito um corte de aproximadamente 6 a 7 cm no sulco interglúteo por onde toda cirurgia será realizada. O fechamento é feito com fio absorvível que não necessita ser retirado. Tal cicatriz fica oculta pela anatomia local e em uma região coberta pelo mais sumário traje de banho.

 

Etapa 3 – Escolha do implante e colocação

Os implantes variam de tamanho, formato e tipo de camada externa e podem ser colocados dentro do músculo ou entre eles. Seu cirurgião lhe orientará qual a melhor opção para seu caso, de acordo com seu desejo e respeitando sua anatomia. Drenos poderão ser colocados eventualmente embora não seja uma rotina.

 

Etapa 4 – Resultados

O resultado da inclusão de próteses nos glúteos é percebido de imediato como o é nas próteses de mama, embora seja definitivo após algumas semanas quando ocorre a melhora do edema e a acomodação das próteses e dos tecidos envolvidos.

 

Pós-operatório

Costumeiramente é mais dolorosa nos primeiros dias e a medicação é mantida na primeira semana. O uso de modelador não é obrigatório e fica a critério do conforto assim como a posição para deitar.

Um pequeno curativo é mantido somente na cicatriz e o banho geral está liberado a partir do dia seguinte.

Está proibida a aplicação de injeções nos glúteos sob pena de perfurar e inutilizar as próteses.

Atividades normais leves de rotina estão liberadas entre uma e duas semanas e as atividades físicas após sessenta dias.

Alguns cirurgiões recomendam a troca dos implantes com 10 anos. Não compartilhamos deste pensamento, e como não há um consenso sobre esta conduta, o mais prudente é o acompanhamento anual com seu médico ou na eventualidade de notar alguma alteração, procura-lo para avaliação da necessidade de substituição dos mesmos.